Periodontologia Lisboa, Doença Periodontal

A Periodontologia é uma especialidade da Medicina Dentária que se dedica ao diagnóstico, prevenção e tratamento das doenças periodontais, que acometem as gengivas, o osso alveolar e o ligamento periodontal..

A gengivite ou inflação das gengivas é uma forma inicial de doença periodontal muito frequente. A periodontite, por sua vez, envolve já algum grau de perda óssea, porém existem tratamentos periodontais que listamos abaixo. Boa leitura!

Sabe a diferença entre uma gengivite e a periodontite? Tem sensibilidade dentária e não sabe porquê? Veja este vídeo...


Gengivas Saudáveis: entenda o estado de saúde periodontal

Numa situação de saúde, temos uma união estável, com o osso a cobrir toda a raiz dos dentes e com o ligamento periodontal entreposto a conferir aos dentes uma ligeira flexibilidade fisiológica. A gengiva por sua vez apresenta-se com uma cor rosa pálido e ausência de sangramento.

O ligamento periodontal consiste numa estrutura de união e amortecimento de forças essencial para a mastigação. Os dentes encontram-se posicionados e mantidos nos ossos maxilares através deste um ligamento. A gengiva cobre todo este compartimento possuindo uma função protectora.

As Doenças Periodontais: Gengivite e Periodontite

De um modo geral, existem duas formas de doença periodontal: a Gengivite e a Periodontite.


O que é gengivite?

Na forma mais suave da doença, a gengivite é considerada como um estado inicial da doença periodontal, consiste numa inflamação apenas ao nível da gengiva e é, portanto um problema reversível.

Na gengivite, as gengivas ficam avermelhadas (inflamadas), incham e ocorre o sangramento das gengivas. Geralmente há pouco ou nenhum desconforto.

A gengivite é frequentemente causada por higiene oral inadequada, porém é reversível com tratamento profissional e uma boa higiene oral em casa.


O que é periodontite?

A gengivite não tratada pode originar a periodontite em pacientes que são suscetíveis a esta doença periodontal.

A periodontite, por sua vez, é irreversível e envolve já algum grau de perda óssea, ao ponto de, num estado avançado, poder levar à perda de dentes.


Periodontite leva a perda dos dentes. Entenda o processo:

Com o tempo, a placa bacteriana pode-se espalhar e crescer abaixo da linha da gengiva.

As toxinas produzidas pelas bactérias na placa irritam as gengivas. As toxinas estimulam uma resposta inflamatória crônica provocando uma destruição dos tecidos e ossos que sustentam os dentes.

As gengivas separam-se dos dentes, formando bolsas (espaços entre os dentes e as gengivas) que infectam. Conforme a doença progride, os bolsos aprofundam-se e mais tecido e osso de gengiva são destruídos.

Frequentemente, este processo destrutivo tem sintomas muito suaves. Eventualmente, os dentes podem ficar soltos e podem ter que ser removidos.

⚠️ Acha que pode ter periodontite? Agende já a sua consulta.


E também: Peri-implantites

Além das citadas acima, temos também a peri-implantites: doença periodontal nos implantes.

Apesar de não se tratar exatamente do mesmo processo, as doenças periodontais também podem afetar os implantes dentários.

Designam-se de peri-implantites e quando estabelecidas podem pôr em causa o sucesso e sobrevivência de um implante.

Desta forma, é fundamental uma boa higiene oral diária bem como consultas de manutenção, mesmo em pessoas reabilitadas totalmente sobre implantes.

O que causa a doença periodontal?

A placa bacteriana é a principal causa do desenvolvimento tanto da gengivite como da periodontite.

Em nosso artigo publicado na Revista Visão “9 causas da periodontite e como evitar uma doença que pode levar à remoção dos dentes” reunimos algumas informações detalhadas, que iremos resumir abaixo.


O que é a placa bacteriana e como se forma?

A placa bacteriana consiste num agregado de bactérias que existem naturalmente na nossa boca e que aderem a superfície dos dentes, juntamente com restos alimentares e toxinas por elas produzidas.

Quando não removido de forma eficaz através de bons hábitos de higiene oral, este conjunto torna-se prejudicial originando assim a doença.


Factores que influenciam no desenvolvimento da doença periodontal:

Vários factores podem aumentar o risco ou contribuir para o desenvolvimento das doenças periodontais. Entre eles incluem-se:

  • tabaco,
  • stress,
  • alterações hormonais,
  • diabetes,
  • medicamentos,
  • genética,
  • entre outros.

Causas da Gengivite e Periodontite

Veja mais detalhes acerca dos fatores que causam as doenças nas gengivas.

1. TABAGISMO

Como provavelmente já sabe, o uso do tabaco está ligado a muitas doenças graves, como cancro, doenças pulmonares e doenças cardíacas, além de inúmeros outros problemas de saúde. O que talvez não saiba é que os fumadores também correm maior risco de doença.

De fato, estudos recentes mostraram que o uso do tabaco pode ser um dos fatores de risco mais significativos no desenvolvimento e progressão da doença periodontal.

2. GENÉTICA

Pesquisas comprovam que até 30% da população pode ser geneticamente suscetível a doenças na gengiva. Apesar dos hábitos agressivos e do descuido na higiene oral, essas pessoas podem ter seis vezes mais probabilidades de desenvolver doença periodontal.

3. GRAVIDEZ E PUBERDADE

Como mulher, sabe que as suas necessidades de saúde são únicas. Sabe que escovar e usar fio dentário diariamente, uma dieta saudável e exercícios regulares são importantes para ajudar a ficar em forma. Também sabe que, em momentos específicos da sua vida, precisa cuidar mais de si mesmo. Tempos em que amadurece,por exemplo, puberdade ou menopausa, e momentos em que tem necessidades especiais de saúde, como menstruação ou gravidez. Durante esses momentos específicos, o seu corpo apresenta alterações hormonais. Essas alterações podem afetar muitos dos tecidos do seu corpo, incluindo as suas gengivas. As suas gengivas podem tornar-se sensíveis e, às vezes, reagem fortemente às flutuações hormonais. Isso pode torná-la mais suscetível a doenças nas gengivas.

4. STRESS

Como provavelmente já sabe, o stress está ligado a muitas doenças graves, como hipertensão, cancro e muitos outros problemas de saúde. O que pode não saber é que o stress também é um fator de risco para a doença periodontal.

Pesquisas demonstram que o stress pode tornar mais difícil o corpo combater infecções, incluindo doenças periodontais.

5. MEDICAMENTOS

Alguns medicamentos, como anticoncepcionais orais, antidepressivos e certos medicamentos para o coração, podem afetar sua saúde oral. Assim como informa o seu farmacêutico e outros profissionais de saúde sobre todos os medicamentos que está a tomar e sobre quaisquer mudanças na sua saúde geral, deve também informar o seu médico dentista.

6. RANGER OS SEUS DENTES

Alguém já lhe disse que range os dentes à noite? O seu maxilar está dolorido de tanto apertar os dentes quando está a fazer um teste ou a resolver um problema no trabalho? Apertar ou ranger os dentes pode exercer uma força excessiva sobre os tecidos de suporte dos dentes e acelerar a taxa de destruição desses tecidos periodontais principalmente na presença de doença periodontal existente em algumas pessoas.

7. DIABETES

Diabetes é uma doença que causa níveis alterados de açúcar no sangue. A diabetes desenvolve-se a partir de uma deficiência na produção de insulina ou a incapacidade do corpo usar a insulina corretamente. Se é diabético, corre um risco maior de desenvolver infecções, incluindo doenças periodontais.

8. NUTRIÇÃO POBRE

Como já deve saber, uma dieta pobre em nutrientes importantes pode comprometer o sistema imunológico do corpo e tornar mais difícil para o corpo combater a infecção. Como a doença periodontal é uma infecção grave, a má nutrição pode piorar a saúde das suas gengivas.

Sinais e Sintomas das Doenças Periodontais

Sintomas da Gengivite

A hemorragia ou sangramento das gengivas quando se escova os dentes é provalvemente o primeiro sinal de alerta que leva as pessoas a procurarem o médico dentista.

Esta hemorragia é causada pela placa bacteriana acumulada que inflama a gengiva e esta, por sua vez, sangra.

Simultaneamente pode existir algum edema ou inchaço e mudança na cor, passando a gengiva de um rosa pálido para um tom mais avermelhado.

Todos estes sinais descrevem o quadro de gengivite.


Sintomas da Periodontite

Na periodontite, para além dos sinais da gengivite, começamos a observar bolsas gengivais, ou seja, zonas onde começa a existir um descolamento de gengiva e onde se acumulam as bactérias e toxinas que promovem a infeção.

Para além destas bolsas podem ainda verificar-se recessões gengivais, triângulos negros entre os dentes como resultado da recolha da gengiva, aparecimento das raízes dos dentes, mobilidade dentária e até mesmo exfoliação ou seja, os dentes caem espontaneamente.


Como prevenir a doença periodontal?

Uma vez que as doenças periodontais surgem da acumulação da placa bacteriana, a melhor prevenção consiste na sua eliminação diária, mantendo o equilíbrio saudável entre bactérias e estruturas orais.

A escovagem bi-diária e utilização do fio dentário são fundamentais, bem como consultas de higiene oral regulares, de 6 em 6 meses.


O que fazer em casa para prevenir as doenças periodontais?

Manter bons hábitos de higiene oral. Escovar os dentes pelo menos duas vezes por dia e não esquecer o fio ou fita dentária pelo menos uma vez por dia!


A periodontite é contagiosa?

Apesar das doenças periodontais se originarem a partir de bactérias que existem na saliva e estas poderem ser transmitidas é na realidade a sua acumulação e a produção de toxinas que vão originar uma infeção e provocar a maioria das doenças gengivais.

No caso específico da periodontite tem ainda que existir uma suscetibilidade individual para que esta se manifeste.

Como tratar uma doença periodontal? Periodontite tem cura?

Após a consulta de avaliação e diagnóstico periodontal, a primeira fase de tratamento de uma doença periodontal consiste na eliminação do agente causador e minimização dos fatores de risco.

Para isso, além da consciencialização do paciente, são realizadas destartarizações e alisamentos radiculares, quando necessários, para uma descontaminação eficaz da cavidade oral.

Nesta fase, o paciente é também instruído no sentido de melhorar a sua higiene oral diária.

Numa segunda fase, é feita uma nova avaliação da condição oral e, não havendo sinais de doença ativa, entra a fase de manutenção, em que são realizadas consultas periódicas por forma a prevenir a re-infeção e o reaparecimento da doença.

Entre estes dois períodos pode ser realizada uma etapa corretiva, com o intuito de reparar os danos da doença, normalmente recorrendo a técnicas de cirurgia periodontal.


Como é feito o tratamento de doenças periodontais?

A eliminação do tártaro e placa bacteriana em consultório é realizada através de destartarizações e alisamentos radiculares com instrumentos ultra-sónicos e manuais.

Considera-se um alisamento radicular a higienização e descontaminação das raízes por baixo das gengivas em profundidade.

É um procedimento realizado sob efeito de anestesia local.


Quais tipos de cirurgia periodontal podem ser realizados?

A cirurgia periodontal tem como objetivo a minimização dos danos causados pela doença e o restabelecimento de uma anatomia favorável à higienização e, quando necessário, à reabilitação.

Existem vários procedimentos passíveis de serem realizados visando estes fins entre eles gengivectomias e gengivoplastias, cirurgias de retalho e cirurgias de enxerto.

Tratamentos Periodontais realizados na Clínica MINT

Destartarizações e Alisamentos Radiculares

O tratamento periodontal de primeira linha consiste sempre na higienização das superfícies com placa bacteriana e tártaro acumulados. Esta “limpeza” denomina-se destartarização quando é feita com instrumentos ultra-sónicos e manuais nas superfícies dentárias expostas no meio oral e ligeiramente abaixo da gengiva. Falamos de alisamentos radiculares quando temos que remover os depósitos de bactérias alojadas na zona das raízes, bem abaixo da gengiva, algo frequente quando existem bolsas periodontais.

Havendo um bom controlo e uma boa higiene oral por parte do paciente podemos então avançar para tratamentos cirúrgicos que visem restabelecer a função e a estética bem como facilitar a própria higienização por parte do paciente, mesmo dos locais de difícil acesso.


Cirurgia de Retalho da Gengiva

Este tipo de cirurgia consiste na abertura de um retalho de gengiva expondo as raízes dos dentes com bolsas profundas. Desta forma é possível a remoção completa das bactérias presentes nas zonas mais profundas e uma re-conexão da gengiva à região da raiz dos dentes afetados.


Cirurgia de Enxerto Gengival

Esta cirurgia corretiva é amplamente utilizada para o recobrimento das raízes expostas, decorrentes da recessão óssea e gengival características da doença periodontal. Este procedimento consiste na recolha de um pedaço de gengiva do palato e colocação deste na região desejada.


Cirurgia de Enxerto Ósseo

Para corrigir certos defeitos ósseos criados pela periodontite, pode ser feito consoante a situação clínica um enxerto ósseo, no sentido de devolver o volume perdido pela doença. Este osso enxertado pode ser da própria pessoa, sendo removido de zonas posteriores da boca, ou de origem sintética.


Gengivectomia

Ao contrário da cirurgia de enxerto em que é colocada gengiva em uma área de interesse, em certos casos é desejável removê-la ou remodelá-la, seja por motivos estéticos, restauradores ou de higienização. Nestes casos, falamos de gengivectomias ou gengivoplastias, ambos processos minimamente invasivos, que são amplamente utilizados.


Alongamento Coronário

Semelhante ao procedimento anterior, esta microcirurgia consiste na remoção de tecido gengival e também ósseo em redor de um ou mais dentes por forma a expor mais superfície dentária na cavidade oral. Realizado muitas vezes para ganhar restaurabilidade em dentes com lesões justa-ósseas.


Regeneração tecidular guiada

Esta é uma técnica promissora de “regeneração” das estruturas perdidas pela periodontite. Através da utilização de membranas e materiais sintéticos é possível reverter em certa medida a destruição causada pela periodontite ao promover a formação de uma nova zona de suporte tecidual para os dentes da área de intervenção.

Quando ir a uma Consulta de Periodontologia?

Se notar um sangramento na gengiva por muito tempo e até mesmo sensibilidade, é o momento de marcar uma consulta com um periodontologista. Durante esta consulta, o dentista irá analisar a saúde oral do paciente e identificar casos de gengivite ou periodontite.

O tempo médio recomendado para realizar uma consulta de higiene oral é de 6 em 6 meses, no entanto este intervalo pode ser ajustado caso a caso.


Quanto tempo dura uma consulta de manutenção periodontal?

Uma hora de consulta é o suficiente para uma consulta de manutenção com o periodontista.

Nesta consulta é feita uma revisão do estado de saúde periodontal e uma higienização em consultório com foco nas zonas onde se verificar uma maior acumulação de placa bacteriana.

 

Precisa tratar gengivite ou outra doença periodontal?

Agende a sua Consulta de Periodontologia em Lisboa, na Clínica Mint. Preencha o formulário abaixo ou ligue para 211 552 308.


Entraremos em contacto consigo para confirmar as datas disponíveis.

 
Copy link
Powered by Social Snap